Lippi & Semma's Friendship

Lippi & Semma's Friendship
Why is this story different?
The child and the adult will look at the tangled images.
Who has never been making aleatory designs? They're stuffed with possibilites for making different things.
They will encounter these things from them with signs that emerge into their own mind. That's when they can play with these tangled images. It will be possible, More

Available ebook formats: epub mobi pdf lrf pdb txt html

First 30% Sample: epub mobi (Kindle) lrf more Online Reader
About Pedro Moreira Nt

Quem eu sou

Pedro Moreira Nt

Eu sei que não sou tudo isso que penso ser, tenho muitos amigos e parentes para me lembrar disso desde infância. Eles insistem: "não pense que você seja tudo isso que você pensa que é porque realmente não é tudo isso que pensa ser". E mais, "se você fosse tudo isso que você pensa que é, ora", -dizem-, "com certeza não seria o que pensa". Sempre concordei com isso. De fato, não posso ser nem a metade daquilo que penso que sou, - e creio que a maioria de nós não é mesmo. Alguns sim, são inteiramente o que são. Integralmente feito deles.
É uma raridade que anda escapando para uma grande quantidade de pessoas, - esses alguns, são tantos, - a cada dia mais. Não posso avaliar porque não conheço tanta gente, tantas quanto gostaria de conhecer. Mas posso dizer que ser o que se é parece mais um intolerável fracasso.
Explico o sentido que venho buscando: sou incompleto, e muita gente é completamente incompleta. Acho que sou a incompletude do incompleto. E é o que estou tentando dizer que parentes, ou amigos, conhecidos vêem em mim. Talvez até porque se vêem em mim ou em outras pessoas, e de tal forma podem dizer claramente que eu não sou essa pessoa completa que acredito aparentar ser. É um processo.
Eu acredito ser o que sou todos os dias, e todos os dias diferentes de minha vida me fazem sentir algo como que eu pudesse crer que sou quem sou.
Quando escrevo algo, quando procuro em mim algo, vou direto a você. Digo isso com verdade: você é a única razão para eu pensar coisas diferentes do que acredito e acreditar igualmente nas diferenças. E por ser tão diverso em nada me apego como uma âncora se apega ao fundo da água e está presa em si mesma na expectativa de seguir outra vez um outro caminho. Eu tenho que encontrar o autor para dizer que sou grato.
É muita arrogância acreditar que se é definitivamente, pensam muitos. Por outro lado é uma falta completa de ousadia não assumir que se é. Necessitamos ser revolucionários e transformadores do principal de nossas crenças. Precisamos crer que ao menos, por algum tempo, ou de certa forma, somos quem somos. E ser quem se é faz sentido se estivermos no barco da vida.
O barco navega por muitas corredeiras, espaços macios de água, outros abruptos e perigosos, mas segue. É a existência enquanto seja, ela mesma acolhida na embarcação e ao rio do viver. A cada mudança, transformação das naturezas do mundo, provocadas ou não direta ou indiretamente por outras pessoas, delineamos a nossa escrita existencial. O rio muda, o ar muda, as águas são outras, um momento raso e frio, outras profundo, beiras quentes, alagados suaves, enfim o ar flui sobre o tempo em que somos ao mesmo tempo partida e chegada, caminho e passagem.
Tenho certeza que não sou o nome. O nome que me anuncia sou agradecido. Mas não sou nome algum. Também não posso ser apenas o bicho animal da raça humana. Mas sou alguém que busca eu mesmo no outro. Onde vivo e me escondo. Sou capaz de nascer todos os dias e aprender alguma coisa. Necessito aprender. É difícil.
A gente começa sendo; um vir a ser que se esparrama de forma mundial. Onde estiver está o que está alojado em você. Digo isso para você que é um tanto quanto eu mesmo. O que você é não tem nome. Alma, ser interno, divindades esclarecedoras, energia, força cósmica e pode ser apenas o estado de presença humana. Não se é, então, sozinho. Estamos cheios de nós mesmos que é o mundo todo.
Por isso derramou particularidades do que somos em ser esse mundo que somos nós. Nós que diz que estamos amarrados em nós mesmos. E isso pode ocasionar enganos, belezas, certezas, correções, alegrias, traumas, dores, tristezas e tudo o mais pode vir a acontecer, por que para ser, sabemos que somos sempre a surpresa.
Eu sou tanto que não caibo em mim.
Estou pretendendo ser eu mesmo hoje, e para isso, e sei bem disso, necessito me relacionar, interagir, conectar, desconectar, fechar e abrir o ser de mim mesmo para que possa ser.
Isso é o que sou, o que possivelmente seja você. Quem sabe sejamos nós. E os que são o que são possam não ser completamente completos, - minha esperança -, para podermos ser todos juntos. Aliás, eu sei que sou você.

Ele
Viver com uma pessoa tão incomum me faz entender o privilégio de compartilhar o seu trabalho criativo. Relendo seus livros A Rata da Livraria; Travessia (Crossing), O Animal preso do silencio; Trem para lugar algum; como os deliciosos contos infantis Lírio (Lily);O Peixinho do Pantanal; Vespa; Atrás da Lua. Alguns trabalhos entre mais de 500 que estão no sumidouro de seus guardados, outros no freezer.
Busquei influencia-lo em mostrar o seu lado mais sensível, de uma espiritualidade diferente.
Parece ter da vida um grandioso seguir sempre; a partir de um presente infinito em construto interno, vibrante com certeza.
(Maria Sara)

Also by This Author

Reviews

This book has not yet been reviewed.
Report this book