Ana C. Nunes

Biography

Writing since 1998, only in 2008 did I start to write more seriously and with thoughts of possible publication. It was only when I started NaNoWriMo (National Novel Writing Month) that I actually gained a stable writing habit and, since then, I haven't stopped.
I write short-stories and novels in the fantasy and science-fiction genre. Sometimes I delve into general fiction as well. mostly in short-stories.

I also write and draw comics and graphic novels. And for one of my comics, "Someone once told me...", I won the 3rd prize at the 4th Odemira Comics Exhibition (in 2010).

Published works elsewhere:
- "Just my Luck", a graphic novel published in the newspaper Barcelos Popular (2006-2007);
- "Electro-dependência" a short-story included in "Lisboa no Ano 2000", an anthology published by Saída de Emergência (2013);
- Short-stories published in fanzines such as "NaNoZine" and "Fénix";
- Comics published in Comic albums such as "Odemira-te" and "Zona Nippon";
- "Anormal", a short story published by Editora Draco (2016).

Smashwords Interview

Where did you grow up, and how did this influence your writing?
I grew up in Barcelos, a small town in the North of Portugal. I can't say that influenced me much, at least not the town itself. It's people, on the other hand, are always a source of inspiration, for their habits, their lives and their way of thinking.
But two things about the town itself did influence me a bit; the history/legends (especially the castles and the legend of the Cock of Barcelos) and the river that is such and intricate part of the town.
One other thing that had a major impact on my writing was the proximity to the Gerês National Park, which is one of the most beautiful places around. That has always been a source of inspiration.
When did you first start writing?
I started writing when I was 14 years old because there was girl, in my class, who drew really well and wrote stories, and I was a bit envious of her, so I started doing the same: drawing and writing. We later became best friends and even wrote stories together. And as the years passed, my passion for writing grew bigger, after a few years' hiatus where I dedicated more time to drawing. But ever since then, I never stopped writing. Be it novels, short-stories or comic-book scripts. And one thing that never changed was my predilection for fantasy stories.
Read more of this interview.

Where to find Ana C. Nunes online

Books

Angel Gabriel - Pacto de Sangue (Edição 5 anos)
Price: $6.00 USD. Words: 122,870. Language: Portuguese. Published: April 28, 2018. Categories: Fiction » Fantasy » Dark, Fiction » Fantasy » Paranormal
Num futuro distante, a extinção dos humanos aproxima-se. A magia e o silêncio são as únicas armas eficazes para proteger a espécie. Prisioneira de um pacto de sangue criado pela sua própria mãe, Angel terá de unir-se a Gabriel, o mais poderoso dos vampiros Sekhmet. Juntos terão de percorrer a Europa em busca de uma solução para o seu problema.
The Last Supper - A Christmas Tale of Horror
Price: Free! Words: 8,980. Language: English. Published: December 26, 2012. Categories: Fiction » Fantasy » Short stories, Fiction » Horror » General
Christmas is a time when families are brought together , people who haven’t seen each other in a long time and who, on this day, sit together at a table, share stories, dreams, joys and a traditional dinner. But on this Christmas, one particular supper is anything but traditional. And what gets served is something very few ever get to taste. One simple meal can hold many secrets …
A Última Ceia - Um conto de Terror Natalício
Price: Free! Words: 8,630. Language: Portuguese. Published: December 23, 2012. Categories: Fiction » Horror » General, Fiction » Fantasy » Short stories
(3.67 from 3 reviews)
O Natal é uma época para a família, em que os membros que não se vêem há muito tempo, se reúnem à mesa, partilham histórias, sonhos, alegrias e uma refeição tradicional. Mas neste Natal a ceia é tudo menos convencional. Uma delícia que poucos têm oportunidade de provar. Uma refeição pode esconder muitos segredos …

Ana C. Nunes' tag cloud

Smashwords book reviews by Ana C. Nunes

  • A Ceia on Jan. 13, 2013

    A well told and amusing short-story. The author play well with his words and with the actions, I especially liked how he introduced the characters. The unexpected ending was a plus, even if it was a bit confusing. The beginning was a bit unsteady and I think the story would've worked even better if it was a bit longer, but all in all it was an enjoyable read.
  • O complexo de Golconda on April 08, 2013

    Esta história de ficção científica começa de uma forma bastante corriqueira, numa cena que não dá logo a entender o enredo e que deixa o leitor suspenso no fim do primeiro capítulo. Talvez por isso mesmo não haja uma ligação imediata à história. Esta ligação vai-se criando depois à medida que os capítulos passam. No segundo capítulo conhecemos o nosso protagonista, Axel que é uma personagem peculiar e que testa a percepção do leitor com as suas acções pouco naturais e modo estranho de ver e encarar a vida. Depois seguimos por uma sucessão de acontecimentos que, muitas vezes, nos parecem aleatórios e inconsistentes, levando-nos a pensar se somos nós que falhamos em ver algo, ou se Axel não é bem aquilo que mostra ser. A sucessão de acontecimentos foi um pouco confusa ao início e só quase no fim percebi o que realmente se estava a passar. No entanto a confusão já estava instalada e nunca se dissipou, o que detorpou um pouco a minha 'degustação' da história. No final o autor conseguiu terminar de forma muito satisfatória a história e o leitor fica a ponderar sobre qual será a final a verdade e a mentira o real e o imaginário. No entanto existe um ou outro elemento, nos últimos capítulos, que surgiram do nada e que parecem apenas conveniências para criar conflitos. Em suma, este conto tem uma base muito intensa e bem pensada, que leva o leitor numa viagem quase alicinogénica. Alguns momentos são brilhantes, outros nem tanto. A prosa do Pedro Martins é muito sucinta, por vezes muito simbólica e por vezes simplificada demais, mas sempre eficiente. No geral foi uma boa leitura, com um final bem pensado, mas teve alguns momentos menos bem conseguidos no meio.
  • Dragões de Simir on Sep. 14, 2013

    Dragões de Simir é um conto com um conceito interessante que daria pano para mangas, se a autora assim o quisesse. No entanto, para a história que é, o formato de conto não foi mal escolhido. A história é um pouco corriqueira, se bem que gostei do facto de o herói, propriamente dito, ser uma pessoa cheia de falhas. Por isso mesmo gostei de como a autora explorou as personagens, embora os passados delas fossem um trágicos demais. O enredo não me surpreendeu muito no início mas a batalha final foi bem conseguida e trouxe algumas surpresas. Já a escrita da autora, que por vezes trabalhava bem com a história, na maioria do tempo não era a mais apropriada. A autora ditava demasiada informação, ao invés de mostrar ao leitor, através das acções dos personagens, aquilo que precisávamos saber. Por exemplo, quando a Lia voou, pela primeira vez, nas costas do Cole, em vez de descrever o voo e as emoções, a autora simplesmente disse que foi fantástico e isso, para mim, não funcionou. Por outro lado, certas repetições no texto também não ajudaram a que este fosse mais aprazível. No geral o conto foi uma leitura interessante, com personagens curiosas e algumas situações bem conseguidas, mas poderia ter sido muito melhor se a prosa fosse diferente. No entanto teria muito gosto em ler mais aventuras passadas neste 'mundo'. Uma nota final para a capa que representa bem o conto, embora seja bastante mais colorido do que a história.
  • Steves on Sep. 14, 2013

    A small yet amusing comic, with great art and an interesting story. I want to know more.
  • Piano Surdo on Sep. 22, 2013

    Já tive oportunidade de ler contos da autora noutras ocasiões mas este foi, sem dúvida, o meu favorito até agora. A prosa está lindíssima, com algumas frases quase poética, que tive de marcar no meu ereader. Mas o melhor deste conto são mesmo as emoções. Focado numa só personagem, o leitor consegue entrar na pele da protagonista, sentir o que ela sente, compreender a sua dor e segui-la na espiral da solidão. Recomendo!
  • Anima lusa on Nov. 10, 2013

    Anima Lusa tem uma premissa bastante interessante e um protagonista que consegue manter o leitor ligado. Tal como em "O Complexo de Golconda" (outro conto do autor), o conceito é relativamente complexo e isso pode tornar o conto menos acessível para que não esteja habituado à Ficção Científica. No entanto acho que o autor conseguiu um bom equilíbrio de enredo e exploração científica, apesar de o final não me ter agradado totalmente, não posso deixar de dizer que foi, ainda assim, adequado. Achei, também, que o conceito poderia ter sido mais explorado. O conto pareceu-me demasiado pequeno.
  • Na Estrada de Mértola on Jan. 21, 2014

    Este conto fez lembrar-me os muitos filmes de terror e thriller que via há uns anos atrás- A fórmula é bastante usual: pessoa sozinha, numa estrada remota, durante a noite, sem forma de contactar ninguém, é apanhada numa doentia perseguição que raramente termina bem. Dito isto, em termos de enredo a surpresa foi quase nula, mas ainda assim a autora conseguiu criar bem o ambiente, dar-nos a conhecer a protagonista e fazer com que o leitor se sentisse na pele da mesma. Gostei dos pequenos pormenores que fizeram este conto mais português, no entanto tenho que dizer que esperava que os vilões fossem mais bem explorados. Também o final esperava mais, pois achei que se passou num compasso completamente diferente do resto do conto, algo apressado, talvez. Da voz da autora, gostei, mas faltou algo à história, algo que lhe garantisse um lugar na memória do leitor.
  • Ashram on Jan. 31, 2016

    Este conto passa-se ainda na lusitânia e fala-nos de um velho eremita que escreve histórias que troca depois por comida. O conceito está muito interessante e a história também, especialmente o final. No entanto a escrita, ou melhor, a forma de contar a história em prosa, fazendo quase nenhum uso do diálogo ou de cenas contadas de uma forma mais intensa, não me encheu bem as medidas. Embora eu até entenda que talvez o intuito fosse contar a história como se esta estivesse, mais ou menos, a ser contada como uma das histórias do velho eremita (das que se contam à volta da fogueira), no fim acho que talvez o conto tivesse ganho outra dimensão se as cenas entre o eremita e o rei fossem mais sentidas. No geral gostei mas não posso dizer que a prosa me tenha marcado. Dito isto, o final conseguiu surpreender.
  • Tecendo Nós on Feb. 27, 2016

    Tratando-se de uma antologia e, como de costume, vou primeiro comentar o contos, um a um. "Lili", de Manuel Alves Confesso que a princípio não me agarrou, mas à medida que a história se desenrolava, o interesse foi crescendo e acabou por ser uma boa experiência, relembrando-me da infância e do ilimitado poder da imaginação das crianças. Gostei muito da Lili, do Homem Que Muda e do Mão Que Puxa. Todas personagens bem conseguidas e que não me importaria de revisitar. Confesso que o final não me satisfez por completo, por ser muito 'bonzinho', mas no geral o conto está muito bem escrito e usa temáticas que nunca ficam velhas. Vale a pena ler! "Vivo, Morto X", de Érica Bombardi Neste conto a prosa funcionou bem e o protagonista também, mas a trama não me convenceu, apesar de ter achado a intriga envolvente, simplesmente senti que faltava mais pano de fundo, mais informação sobre o que os levara àquela situação. Havendo dito isto, esta foi uma história que me manteve agarrada ao kindle do início ao fim. "Sede de Ser", de Victor Eustáquio As descrições contidas neste conto são bastante vivas e evocam sentimentos e emoções fortes no leitor; o autor tem jeito com as palavras. No entanto o desfecho deixou algo a desejar. "Uma Demanda de Bertolameu, Frei de Portugal", de Fernando Évora Gostei deste conto e da forma como está escrito. Apesar de longo, nunca chegou a aborrecer. A prosa é limpa e evoca bem as situações, personagens e emoções, no entanto acabou por se arrastar demasiado tempo e o final pecou pela falta de detalhe e de uma verdadeira resolução. "Por Detrás de uma Leitura", de Olinda P. Gil Com um conceito interessante, cuja reviravolta se mostrou imprevista, confesso que ainda assim o tom narrativo não me manteve ligada à história. Existiu um distanciamento que não consegui ultrapassar e que fez com que o conto não me ficasse muito tempo na memória. "Uma Miragem na Chuva", de Ana C. Nunes Sendo eu a autora, abstenho-me de comentar, mas agradeço a vossa opinião, se o lerem. :) "Ensina-me a Amar", de Pedro Pinto Esta é uma história romântica que, a meu ver, foi a que menos se enquadrou no tema da antologia (realidade vs imaginação). Não que isso tenha sido razão suficiente para prejudicar o conto. A história em si tem potencial e as personagens são interessantes mas, a forma como o autor se arrastou na descrição da vida das personagens, das situações que elas viveram, na intensidade de um suposto amor que não atravessou a barreira das palavras até ao leitor. Infelizmente este conto não me produziu qualquer faísca em mim, apesar de simpatizar com as personagens, achei que a história, que era tão simples, foi esmiuçada até à exaustão, e por isso perdeu o seu brilho. "As Últimas Horas do Rei Cego", de Carla Ribeiro Um conto que peca apenas por ser demasiado curto. Não houve tempo para uma ligação mais profunda com o protagonista, mas foi o suficiente para que se percebesse a sua situação. Gostei da claustrofobia incutida no texto, e da ideia. "Conversas Sobre Carris", de Andreia Silva Este conto tem um conceito muito interessante e é emocionante visitar a mente do protagonista, especialmente quando chega o final, no entanto a prosa pareceu-me algo pesada para o tema e não funcionou a seu favor. "Problemas que Não Existem", de Carlos Silva Um tema muito imaginativo, que me relembrou um pouco do Lili (do Manuel Alves) mas que acabou por não ter o mesmo impacto. Apesar de o conceito ser bastante refrescante e ter gostado de alguns trechos, o final foi demasiado básico, faltando-lhe uma faísca do fantástico que permeou outras partes do pequeno conto. No geral, esta é uma antologia bastante coerente, com autores que mostram talento e histórias bastante diversificadas. Alguns contos foram mais satisfatórios que outros (como sempre acontece com antologias de vários autores), mas nenhum foi particularmente mau. Ficou a vontade de ler mais trabalhos de vários dos autores presentes na colectânea.
  • Passarinhos e Genocidas on April 06, 2022

    Poemas curtos, de temas variados. Muitos, senão mesmo todos, altamente sarcásticos. Alguns ressonaram comigo, outros não compreendi (mea culpa).
  • A Dança Sagrada on April 06, 2022

    Começa confuso, porque nos são apresentadas várias personagens que parecem não ter grande ligação entre si mas, assim que começam a acontecer coisas estranhas, o mistério compõe toda a narrativa. Curto mas com bastante significado.
  • Verum on April 06, 2022

    A história e o seu desfecho são muito interessantes, no entanto a cena inicial é desnecessariamente confusa e ambígua (a meu ver), por culpa da falta de informação ou de settting (ambientação). Há demasiadas perguntas e quase nenhumas respostas. Dito isto, a escrita é muito boa, bem como a personagem do Khalif que, em muito pouco texto, consegue demonstrar as suas motivações.
  • O Lago - Pedro Cipriano on April 06, 2022

    A narração está envolvente, criando um misticismo em torno dos acontecimentos, no entanto precisava de mais espaço para o desenvolvimento, tanto da Alice como do marido: porque é que ela tomava tantos medicamentos? Ficam demasiadas perguntas no ar e não temos nenhuma resposta.
  • O Muro - Pedro Pereira on April 06, 2022

    Passado num mundo alternativo (ou será futuro?) onde Paris está envolta numa enorme muralha para proteger-se dos demónios, é-nos contado o turno de um dos guardas e as consequências de uma das suas decisões. A história é interessante, no entanto a narração é demasiado carregada de informações contadas (tell), por vezes desnecessárias, e quase sempre metidas a "ferros". Penso que a história pecisava de um pouco mais palavras para não ser tão carregada de informação e para podermos conhecer nelhor o Mauriec de forma a dar mais impacto ao final.
  • O Vizinho do 4-B - Ricardo Dias on April 06, 2022

    Escrito como uma peça de teatro, este é um pequeno texto bastante divertido e interessante, sobre as coscuvilhices das vizinhas com um twist mitológico à mistura.