Lili

  • Series: Lili, Book 1
Lili acordou a gritar com um pesadelo horrível. Sonhou com um homem alto muito baixo que tinha tanto de gordo como de magro. Lili chamou-lhe o Homem Que Muda. No pesadelo, aparecia-lhe cego, mas olhava-a nos olhos. Era mudo, mas falava. Dizia sempre a mesma coisa: não desças à cave. More

Available ebook formats: epub mobi pdf rtf lrf pdb html

First 10% Sample: epub mobi (Kindle) lrf more Online Reader
  • Series: Lili, Book 1
Words: 9,750
Language: Portuguese
ISBN: 9781301572076
About Manuel Alves

https://www.patreon.com/manuelalves
--
O autor só fala de si mesmo na terceira pessoa quando tem de falar do autor ou, é claro, quando pratica a extraordinária arte da feitiçaria imaginativa — há quem lhe chame Escrita. Se houvesse na minha vida lugar para gatos, teria dois e um seria um Gremlin disfarçado. Tenho um furão e uma hiena — ambos imaginários.
--
The author only speaks of himself in the third person when he has to speak about the author or, of course, when he conjures the extraordinary art of imaginative sorcery—some call it Writing. If there was any place for cats in my life, I would have two and one of them would be a Gremlin in disguise. I have a ferret and a hyena—both imaginary.

Also in Series: Lili

Also by This Author

Readers of This Book Also Read

Reviews

Review by: Ana Pereira on July 18, 2013 : (no rating)
Lili já não é criança mas ainda não adolesceu. É um limbo entre o sonho e a realidade, aquele sítio onde é mais fácil lidar com o medo. Uma história para crianças e ainda mais para adultos que têm réstia de criança.

Ilustrações sugestivas lembram gravuras dos livros antigos, num traço fluído, a deixar espaço para a imaginação espreitar e até talvez, procurar o que escondem.

Personagens do sonho, boas e más, convivem com a realidade na imaginação de uma menina e na história que está a ser escrita. Vozes de especiarias convidam a um cacau reconfortante, e por que não juntar um sapo que não é príncipe, canecas com personalidade e pufes amarelos velhinhos?

Enquanto isso, pode-se sempre visitar os sótãos e as caves da memória e tirar esqueletos do armário. O tempo molda a perspetiva dos acontecimentos, empoeira as coisas más e potencia as boas. Pode muito bem ser o ponto de partida para uma viagem onírica, com reflexos na realidade.

A minha sugestão: acompanhar a leitura com o cacau polvilhado de canela e uma pitada de pimenta bem moída. E raspas de chocolate negro por cima! Fechar os olhos e...
(review of free book)

Report this book